Tamanho da letra A + A -

Reflexões sobre o isolamento social: Moradias Independentes

O projeto “Juntos, Podemos Morar Sozinhos” do Instituto JNG quer trazer para o Brasil o modelo em que pessoas adultas com qualquer tipo de deficiência morem em edifícios comuns, com vizinhos “típicos", cada qual em seu próprio apartamento com sala, quarto, cozinha e banheiro e, portanto, privacidade. A diferença entre um apartamento comum de qualquer cidade é que deve haver pelo menos cinco a oito pessoas que precisem do Programa de Suporte Individualizado (PSI) no mesmo prédio. Por quê? Pela necessidade de escala, pois quanto maior o número de pessoas, menor o custo individual do PSI, e para financiarmos um apartamento extra onde fica a base do Programa, a equipe e o sistema de informação.

Pensemos nessa fase de isolamento social que estamos vivendo. Como seria num projeto como esse? Os moradores teriam a opção de ficar em seus próprios espaços porque a organização que presta o serviço de suporte individualizado é composta por profissionais em regime de plantão, utilizam métodos e métricas para apoiar e avaliar as rotinas de cada morador do projeto. Uma forma estável e segura de vida autônoma e independente. O que você acha dessa ideia? Compartilhe suas dúvidas. Conheça os detalhes no site do Instituto JNG.

A sua doação vai além do valor financeiro,
ela apoia a conquista de autonomia de pessoas com deficiências.

Clique aqui para doar Veja os produtos da campanha