Tamanho da letra A + A -

Dicas práticas para lidar melhor com emergências, trabalho e saudades.

O momento de distanciamento social é de incertezas, angústias e novas rotinas. 


Ocupamos um espaço, a nossa casa, de maneira muito diferente do que antes da pandemia do novo coronavírus. Sofremos com as mudanças bruscas em nossas relações pessoais, de trabalho e nas nossas rotinas diárias. 


Agora, famílias estão juntas 24h por dia, 7 dias por semana. A convivência com amigos, colegas de trabalho, garçons, feirantes e vendedores preferidos, com terapeutas e professores é virtual.


Uma pausa forçada para nos reconectarmos, para refazer planos e repensar prioridades. Nesse artigo, trazemos reflexões e dicas práticas para enfrentar algumas das principais questões que nos afligem: emergência, trabalho; rotina e saudades.


Boa leitura!



Crédito imagem: Nathan Anderson



#1 EMERGÊNCIA


Não podemos prever as emergências, mas podemos planejar algumas ações para tomar melhores decisões. Além disso, a prevenção pode estimular atitudes de autonomia, pois todos sabem o que fazer e decidir no momento preciso.

Esse é o momento ideal para conversar em família, pois estamos rodeados de exemplos concretos de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. 


Você, pessoa com deficiência, já pensou sobre isso? 

Já conversou com sua família a respeito?

E se você ficar doente? Se sua mãe ficar doente?

Quem a leva para o hospital? 

Quem vai cuidar do seu pai? E de você? 

Nós não sabemos se isso vai acontecer, não é?

Importante conversar em família sobre o assunto.

Se conversarmos antes na hora saberemos o que fazer. O que acha?



#2 TRABALHO

O trabalho é parte importante da vida adulta de qualquer pessoa, típica ou atípica. Atualmente muitos estão afastados, em férias ou  férias coletivas. Comércios, indústrias, serviços estão fechados ou se reinventaram.


Como o filho com deficiência compreendeu sobre a decisão do seu local de trabalho? Quem conversou com ele? Que contato mantém com seus colegas de trabalho? 

E a saudades dos colegas? Temos ouvido bastante essa queixa!

Quais são as alternativas para um contato com colega próximo? Que legal é fazer ou receber uma ligação, pode ser por WhatsApp, Zoom ou Skype, não é?


Esses exercícios são um grande passo de autonomia: 

  • contatar o RH ou chefe para pedir explicações sobre as decisões da empresa;

  • contatar algum colega para trocas de informação, contar novidades, saber como está.

  • Pense nisso, você é o colaborador da empresa, precisa ter as informações sobre o seu trabalho.


#3 SAUDADES


No dicionário, saudades  significa “sentimento melancólico devido ao afastamento de uma pessoa, uma coisa ou um lugar, ou à ausência de experiências prazerosas já vividas”.

Saudade é a memória de algo que aconteceu e a intensa vontade de reviver certos momentos.

Podemos sentir saudades de um amigo, dos colegas de trabalho, de uma comida que há muito não saboreamos, de uma cidade que conhecemos e que gostaríamos de voltar, de um período muito feliz de nossas vidas, saudades de alguém querido, saudade da casa em que vivemos por muito tempo.


O que fazer?

Contatar seus amigos ou colegas, mesmo que de forma virtual.

Viva o presente da melhor forma que conseguir.

Aceite a saudade  e admita que ela está presente na sua vida nesse momento, sem vergonha ou tristeza.


#4 ROTINA


A rotina é organizadora e traz segurança, inclusive emocional. Quanto mais tempo você a segue, mais as tarefas se tornam um hábito.

A parte mais difícil é desenvolver uma rotina que você possa acompanhar todos os dias. Comece com pequenas ações, como usar o calendário ou agenda.Se tiver problemas de disciplina, não se preocupe e descubra formas de melhorar com o tempo.

Nestes tempos de pandemia, mesmo em isolamento, a rotina é ainda mais importante, pois estabelece metas e, ao cumpri-las, me sinto valorizado.


Pequenos hábitos que podem mudar o seu dia

  • Ter horário para acordar e dormir.

  • Ter uma alimentação saudável.

  • Praticar qualquer atividade física que te dê prazer, caminhar (mesmo em casa), alongar, dançar, movimentar-se.

  • Fazer o que desejo, mas também as obrigações que nos ajudam a ficar bem. Por exemplo, tomar banho e se arrumar, limpar e organizar a casa, é gostoso estar num ambiente acolhedor!

  • Aprender coisas novas.

  • Tenha a certeza que este período de isolamento irá passar.



Por Daniela Karmeli e Juliana Righini - Especialistas na área social de pessoas com deficiência.


A sua doação vai além do valor financeiro,
ela apoia a conquista de autonomia de pessoas com deficiências.

Clique aqui para doar Veja os produtos da campanha